sábado, 9 de janeiro de 2016

Artistas convidados do Festival Angoulême fazem boicote ao evento

Por:Hds



O festival Angoulême em sua 43º edição,que acontecerá de 18 de a 31 de janeiro,já começa fazendo barulho.Mal começamos o ano de 2016 e temos a notícia de que um evento será alvo de boicote.O motivo da evasão não podia ser mais fútil e panfletário:dos trinta artistas indicados na categoria Grand Prix(a principal)não existe nenhuma mulher entre os indicados.

Entre os 30 artistas da categoria estão nomes como;Charles Burns,Brian Michael Bendis,Daniel Clowes,Alejandro Jodorowsky,Milo Manara,Frank Miller,Alan Moore,Stan Lee,Chris Ware,Bill Sienkiewicz,Naoki Urasawa entre outros.

Isso não vai soar como novidade para ninguém,mas Riad Sattouf pode ser considerado um "feminista".

O estopim do "protesto" foi o artista Riad Sattouf,que se recusou a participar pelo fato de não haver mais mulheres na premiação.Até agora 10 indicados já retiraram suas confirmações e o número deve crescer.A adesão veio por meio do grupo BD Égalité,que tem em sua agenda a nada criativa pauta de luta pela "igualdade de gênero nos quadrinhos".

Por puro medo e concordância com as exigências ideológicas fajutas dos artistas envolvidos,a organização do festival resolveu incluir Marjane Satrapi e Posy Simmonds na lista.Além disso o evento conta com a já tradicional bancada de debates sobre inclusão,que se tornou uma praga nas feiras e convenções mundo afora.Será que alguém realmente para pra ver essas coisas numa feira lotada de atrações verdadeiramente interessantes?

Por parte dos organizadores não se espera nada de diferente do que foi feito,já que esse tipo de decisão é puramente burocrática e previsível.Não é novidade nenhuma que o mercado de quadrinhos nos EUA e na Europa estão tomados pela onda de acolhimento coitadista-inclusivo. Homens adultos que deveriam ter uma opinião séria se entregando à resmungos e reinvidicações histéricas.

Se as mulheres que fazem hq's querem reconhecimento,por que não trabalham para isso?Por que ficam mendigando espaço que deveria ser conquistado e não cedido como um "agrado" ou "gentileza masculina"?O que essa gente quer afinal de contas,que se abram cotas para mulheres em eventos e no mercado?

O mais ridículo é que os próprios responsáveis pelo festival afirmam que as duas artistas incluídas de última hora receberam poucas votações em edições anteriores!Ou seja,não receberam destaque porque não produziram nada que fizesse por merecê-lo!Ainda,na palavra dos mesmos,afirmam que homens e mulheres são mais "sensíveis" à questão da ausência de mulheres nesse meio.Por isso entenda-se;choramingação por transigência barata!

Eu,de minha parte,prefiro ficar com a constatação mais simples e cabível de que mulheres não se destacam nos quadrinhos simplesmente porque não dão a mínima para eles!A porcentagem de leitoras e profissionais nesse ramo é baixíssima e não adianta dizer que isso acontece porque são barradas pelos homens.Não existem mulheres escrevendo ou desenhando hq's com regularidade no mercado,mesmo que em outras áreas estejam cheias delas.Como vemos no mercado de marketing,música,moda,design,saúde,ensino etc.Não é o machismo ou misoginia que provocam isso,é pura falta de empenho mesmo!

Você ouviu alguma vez quadrinhistas como Hiromu Arakawa reclamar de falta de reconhecimento?Sua obra mais conhecida;Fullmetal Alchemist,é extensa,bem roteirizada e ilustrada e ganhou uma animação que a tornou conhecida no mundo todo.É assim que uma mulher deve trabalhar com quadrinhos.Não se queixando da falta de oportunidades que ela talvez nem tenha feito por merecer!

Levando em consideração esses fatos,o que devemos fazer diante do ato inicial isolado de Riad Sattouf?Afetar todo um acontecimento do porte desse festival por causa de uma pessoa insatisfeita?Nos sentir culpados pela ausência das mulheres nesse mercado,que por sinal é provocada por elas mesmas?
São raros os casos de artistas femininas prolíficas.Se empresas como a Marvel e DC há muito abriram mais espaço para desenhistas e escritoras e ainda assim a presença delas nessa mídia continua medíocre.O que mais pode ser feito?

Não importa se mulheres ou homens predominam num setor.O que importa é que cada pessoa ali tenha chance de estar lá por mérito próprio e não porque alguém resolveu ter peninha dessa pessoa.É uma humilhação,não uma vitória para uma mulher "garantir" uma cadeira num evento às custas de condescendência.E,definitivamente,convenções de quadrinhos são para artistas serem prestigiados,leitores conhecerem seus ídolos e promover diversão.Não para incutir culpa nos leitores!










Nenhum comentário:

Postar um comentário