segunda-feira, 30 de maio de 2016

Nova revista do Capitão América traz de volta seu maior vilão atual: A própria Marvel Comics


Por:Hds

"Por que o Capitão América está dizendo Hail Hydra?". Boa pergunta, mas nós já sabemos a resposta.

Em janeiro,quando escrevi uma nota sobre as mudanças no Capitão em seu novo título, eu achava que elas ficariam somente no papel do personagem e no uniforme. Eu estava sendo inocente demais. O novo título sob o texto de Nick Spencer e a arte de Jesus Sayz causou barulho demais nos últimos dias.

Em Captain America-Steve Rogers é finalmente apresentado o retorno do Capitão América original. Após ser rejuvenescido pelo cubo cósmico no crossover Avengers Standoff, onde aconteceu uma luta com o Barão Zemo, o herói surpreende os leitores fazendo algo impensável. Ao jogar o personagem Jack Flag de um helicóptero o capitão exclama:"Heil Hydra".

Desnecessário dizer que houve uma reação gigantesca na internet. Milhares de posts e vídeos foram feitos para debater, xingar, ironizar e multiplicar por milhões a repercussão que, com certeza, já havia sido planejada pelo roteirista.

É preciso entender que no momento atual em que acompanhamos os quadrinhos da Marvel e DC, tornou-se comum apelar para recursos que invalidam a biografia ou a cronologia do herói somente para efeitos de espetáculo.

As editoras enxergam em seus personagens franquias milionárias e protegem seu patrimônio com unhas e dentes.Vejam o caso do famoso embate entre os familiares de Jerry Siegel e Joe Shuster e a DC Comics, após décadas brigando a editora finalmente conseguiu os direitos sobre o personagem. Mas não sem antes atacar com advogados custando milhões em longos anos de processo judicial. Tudo para garantir uma das maiores marcas da editora continue sendo sua.

Os criadores acabam ficando com poucas opções para contornar a política de royalties das editoras que os impedem de criar algo novo se esse "novo" render dinheiro para quem o criou. É exatamente por isso que vemos um verdadeiro desfile de ideias que forçam a barra com alterações delirantes nos heróis e retcons cada vez mais difíceis de tolerar.

Dentro das redações, o clima de trabalho se tornou insuportável para alguns artistas. Logo depois do início dos Novos 52 vários profissionais saíram da DC alegando interferências propositais em seus trabalhos. Desavenças, ordens absurdas e desrespeito por parte dos editores e acionistas da empresa provocaram a saída de figuras como George Peres, Paul Jenkins e Greg Rucka (cuja volta para a DC já foi anunciada na WonderCon 2016).

Ah! Você não ficou sabendo de nada disso? Deve ser porque a maioria dos sites e canais "especializados" em quadrinhos estavam mais ocupados em te deixar babando pelo novo trailer ou páginas da alguma nova mega-saga inútil. Como é de costume lá fora e aqui no Brasil: empolgação cega, famboyzismo vexatório e pouca informação reinam absolutas.

Alguma alma pura e inocente, com certeza, vai tentar argumentar. Dizendo que episódios assim não são incomuns na cronologia do Capitão América, muito menos no universo Marvel. Mas não é preciso ser um leitor tão atento assim para notar que o herói, supostamente, ter sido um aliado da Hydra todo esse tempo é uma descomunal asneira!

Não deixemos de lado a hipótese de que esta revelação esteja amparada por algum daqueles truques ridículos como: clonagem, versão de outro universo ou época, robô, controle mental, sósia transmorfo, simbionte parasita, reprogramação mental ou qualquer besteira desse tipo. Mesmo que o próprio Nick Spenser tenha negado qualquer desses recursos manjados.

Seria interessante se ao invés dos leitores morderem os cotovelos de raiva, mostrando uma postura previsível para os editores, acabassem por ignorar a revista fazendo um boicote para afundar suas vendas. Não digo isso pelo fato de achar a história revoltante e querer justiçá-la. Mas pelo fato de que é preciso passar uma mensagem diferente do costumeiro xiliquinho de fã.

A trama é forçada. Não tem o menor respeito pela inteligência dos leitores. Não tem criatividade alguma e tenciona apenas chocar e colher gritos de ódio de leitores fiéis ao personagem. Além disso vai contra tudo de bom que vem sendo feito nos filmes, onde temos um capitão cada vez mais cabível na pele do (não tão) convincente ator do personagem; Chris Evans.

Do alto dos seus respeitáveis 75 anos de existência, o Capitão América tem de se ver numa luta ferrenha com seu mais poderoso inimigo: a Marvel. Que parece que o escolheu como novo saco de pancadas depois do Homem-Aranha. É a vez do "bandeiroso" sofrer nas mãos frouxas e vacilantes dos editores. A sistemática sequência de eventos estúpidos (morte, retorno, envelhecimento e virada de casaca), a depredação de sua origem, a descaracterização de seus ideais e desbotamento das cores da bandeira que defende vão, por fim, deixar o velho soldado na lama.

Só nos resta ignorar essa palhaçada e colocá-la no mesmo patamar do infame pacto com o diabo feito pelo próprio homem-aranha. Numa prateleira especial para as histórias mais imbecis e desesperadas já feitas pela editora.

E para não dizer que nada de bom pôde ser tirado dessa notícia, vamos ficar com alguns dos memes que surgiram depois dessa bomba. Até a próxima!











"Quebre um tijolo e dois aparecerão em seu lugar"







Nenhum comentário:

Postar um comentário