sábado, 2 de abril de 2016

Checklist Comentado: Março de 2016


Por:Hds

O mês de março veio trazer lançamentos diferenciados e dar uma sacudida na mesmice dos quadrinhos mensais.Temos uma Mega Saga da DC,mangás de qualidade e arcos que os leitores pediam há muito saindo pela Eaglemoss e Salvat.Temos também as revistas mensais e encadernados que brotam nas bancas para fazer os nossos bolsos de reféns.Seja bem vindo ao checklist comentado de março e boas compras!

Sin City De Volta ao Inferno:formato 17x26cm,328 páginas e preço de R$84,90.


Wallace é um ex-guerrilheiro que tenta viver uma vida tranquila.Conhece uma garota chamada Esther que acaba sendo raptada.Wallace então fará de tudo para resgatá-la e acabará descobrindo algo maior envolvendo a sua amante.

Assim como Hellboy,Sin City teve um histórico de publicação sofrível no Brasil.Saiu pela Globo,Pandora e Devir.Foi por esta última que teve sua passagem mais atrasada.A primeira edição de De volta ao Inferno,feita em 2006,custou absurdos R$60,00!Com a mesma quantidade de páginas e formato.As oito páginas a mais do novo volume são somente para incluir artes e as capas que já deveriam ter saído na edição anterior.

Alguém além de mim percebeu que quando editoras como Mythos ou Devir relançam seus quadrinhos a única diferença vem no aumento do preço?Manter quadrinhos famosos sendo reeditados para suprir demanda não é uma prática ruim,mas a Devir quase não renova seu catálogo e vive de recauchutar velhos sucessos da década de 90,Quando pega coisa nova para lançar,faz como fez com Imperdoável Mark Waid.

O primeiro arco saiu em comic shops em agosto de 2013 com 128 páginas,R$45,00(o "precinho" Devir)e no detestável formato de 16x23cm.Ok!Vamos parar pra observar esse fato de perto:por que diabo a Devir não consegue produzir uma edição em formato 17x26cm(o "formato americano",termo criado pela Editora Abril para fazer o leitor trouxa)como todas as outras editoras? Cobrar R$45,00 por míseras 128 páginas não garante que o consumidor tenha,ao menos,o padrão aceitável de edição.

Bem como sua parceira de facada nas costas do leitor;a Mythos.A Devir dá a impressão de que somente ela tem de pagar pelos direitos autorais dos quadrinhos que lança com diamantes ou barras de ouro,tentando justificar seus preços surreais.

A quanto tempo essa editora está no mercado somente pegando títulos que não queremos que ela publique para que não saiam ao custo de um rim ou um fígado?Por que a Devir não publica nada novo se temos várias editoras americanas com materiais interessantes?E finalmente:POR QUE DEMÔNIOS ESSES PREÇOS ESCROTOS?Se editoras menores como a nova sampa conseguem pôr seus produtos nas bancas custando preços aceitáveis,por que a Devir insiste nessa política?

A única maneira de parar a Devir é com o puro e simples boicote de suas revistas,algo que não é nem um pouco difícil de se adotar,já que ela mesma faz toda a questão de afastar o leitor com seu olho gordo nos nossos bolsos e sua notória incompetência.

DC Comics Coleção de Graphic Novels-Batman Morte em Família:formato17x26cm,154 páginas e preço de R$39,90.


Morte em família é um típico exemplo de história que foi afetada pela onda de seriedade gerada por Watchmen.Saiu em bancas americanas no ano de 1988 e teve roteiros do desenhista e nas horas vagas roteirista Jim Aparo.Aparo nunca foi conhecido ´por sua inacreditável capacidade como escritor,mas este arco acabou se tornando um dos mais emblemáticos do personagem.Mesmo que a revista tenha apelado para o recurso vulgar de votações por telefone para decidir pela morte de um importante personagem,o mérito de Jim Aparo com ela é evidente.É uma história simples e bem contada o suficiente para ser lida despretensiosamente.Mas sinto dizer que o preço de capa que a  Eaglemoss colocou nela não vale a pena.Procure por uma versão mais barata(editora Abril).


DC Comics Coleção de Graphic Novels-Lex Luthor O Homem de Aço:formato 17x26cm,152 páginas e preço de R$39,90.


Lex Luthor investe pesado na construção de uma torre de observação em Metrópolis com finalidades obscuras,mas acaba tendo que enfrentar a reação pública e a própria desconfiança do povo da cidade.
Para conseguir construí-la precisará do apoio dos cidadãos e ainda escapar da vigilância do homem de aço,que mais uma vez ficará no caminho de seus planos.

Escrita por Brian Azzarello e desenhada por Lee Bermejo.Azzarello é um bom roteirista e responsável por uma das melhores séries da Vertigo em muito tempo;100 balas.Lee bermejo tem um traço excelente,que transita entre o lápis e a pintura de modo bastante natural.Essa dupla junta tem potencial para entregar boas histórias.Embora não tenha lido,nos site de resenha em que pesquisei observei avaliações positivas sobre este volume.O preço da edição,como já dito,não é dos mais agradáveis para quem somente quer ler algo um tanto acima da média das histórias do super,mas não será tão difícil assim encontrá-la em promoções.

O Árabe do Futuro 2 Uma Juventude no Oriente Médio(1984-1985):formato 17x24cm,160 páginas e preço de R$39,90.


Neste segundo volume Riad Sattouf conta como foi ter que estudar numa escola Síria tendo que aprender a língua árabe num ambiente violento e controlado por um governo ditatorial.Conhece a família do seu pai,passa férias na frança e se esforça para se tornar um verdadeiro cidadão sírio como deseja seu pai.

Espere aí,Riad Sattouf?Esse não foi o mesmo sujeito que começou com toda a revolta no caso do Festival Angoulême neste ano?Certo,vamos lá...

Para qualquer leitor mais velho que já sentiu a necessidade de ler algo mais "intelectual" para tentar provar que quadrinhos não são coisa somente de criança,não há novidade nenhuma no fato de a maioria das hq's fora do mercado mainstream fugirem da ficção como o diabo foge da cruz.

E no caso dos quadrinhos europeus isso é quase que uma regra.Para muitos artistas do nicho underground ler uma história de aventura,ficção,fantasia ou outros estilos ambientados em realidades diferentes é "uma afronta à percepção dos males sociais que oprimem a humanidade".Oh!O horror!

Para muitos artistas guiados por ideologias vitimistas consumir algo voltado apenas para o puro e simples entretenimento é um crime por si só.Super-heróis?Viajantes do tempo?Mutantes?Exploradores do espaço?Tudo lixo feito para instigar a fuga da realidade em crianças e jovens.

O bom mesmo(na cabeça doentia dessa gente)é ler biografias sofridas.Melhor ainda se envolverem alguma guerra,a carga de melodrama barato já estará garantida.Mergulhar em histórias metafóricas e viajantes que servem como uma representação delirante dos flagelos que recaem sobre os injustiçados.Quadrinhos como Maus de Art Spiegelman e Gen-Pés Descalços são boas experiências,mas uma hora vão acabar enchendo o saco com tantas dores e traumas!

Personagens fracos e lacrimejantes,com um peso de sofrimento de toneladas amarrado às costas.Tudo isso ambientado em cenários que fariam o maior dos otimistas amaldiçoar a própria condição humana.Simplesmente patético!Infelizmente os quadrinhos europeus e os alternativos americanos estão cheios dessa baboseira auto-piedosa  e O Árabe do Futuro só vem aumentar a pilha de porcarias do tipo.Sabe aquelas edições de Hora de Aventura dando sopa nas bancas?Sugiro que você considere dar uma chance a elas...

Blood Blockade Battlefront nº1:formato 13,5x20,5cm,200 páginas e preço de R13,90.


Nova York desapareceu num nevoeiro,em seu lugar existe agora Hellusalen's Lot.Leonard Watch chega à cidade para ajudar sua irmã cercada por demônios.Recebe de uma entidade o "olho de Deus" e acaba sendo convocado pela Libra,uma sociedade secreta que visa proteger o mundo de ameaças.

É bem complicado falar sobre uma história que não se leu,pois não dá pra saber o nível de qualidade dela somente pela expectativa dos fans de mangá no Brasil e os sites de review,às vezes,falham terrivelmente.

A sinopse parece interessante,os desenhos mostram figuras um tanto caricatas e cenários medianamente detalhados.Somente lendo para saber se temos aqui uma nova obra essencial dos quadrinhos japoneses ou mais um entre tantos.De qualquer forma já existem ótimos títulos orientais em bancas para nos manter ocupados.Experimente este 1º número se for do seu interesse.

Hellsing nº10(última edição):formato 13,5x20,5cm,176 páginas e preço de R$16,90.


A última batalha entre Alucard e a organização Hellsing finalmente acontece.Prepare-se para sangue jorrando,lutas violentas e ação neste final do mangá.Hellsing sempre foi um quadrinho bastante falado e conhecido entre os otakus,mesmo tendo uma durabilidade curta.Ainda que custe um pouco a mais do que os demais mangás,seus 10 volumes não pesaram no bolso de quem arriscou acompanhar a saga do caçador de vampiros.

Rurouni Kenshin Especial Versão do Autor nº2:formato 13,5x20,5cm,200 páginas e preço de R$16,50.


Kenshin segue a pista de um cigarro deixado no dojo Kamiya e encontra o capitão da Terceira Divisão do Shinsengumi,Hajime Saitou.Karyu Takeda insiste em tomar posse do Dojo Kamiya e acaba encontrando Jin-e "O Retalhador",para matar Kenshin.E Karyu vai ao encontro de Yahiko com uma proposta irrecusável.

Nas bancas,o segundo capítulo da origem recontada do samurai ruivo.Os desenhos Nobuhiro Watsuki estão em boa forma,mesmo depois de 20 anos do início do mangá.No mês anterior eu havia dito que talvez os leitores do mangá devessem deixar passar essa edição por já terem lido.Mas é claro que o fã
declarado não vai perder a chance de incluí-la na coleção.Então se é do seu interesse,corra atrás.

O Roteiro nas Histórias em Quadrinhos:formato livro digital,104 páginas e preço de R$5,00.


Apesar de este ser um livro que possivelmente ensina o básico do que é um roteiro de quadrinhos,não deixa de ser curioso ver um livro brasileiro tentando ensinar a fazer quadrinhos.Atualmente vivemos uma onda de hiper-valorização dos quadrinhos nacionais.Não consigo enxergar toda essa qualidade neles e digo mais;pra mim isso,em boa parte,não passa pura de puxação de saco.É só ver o exemplo dos irmãos Fabio Moon e Gabriel Bá.

Por isso mesmo,não deixa de ser irônico ver quadrinhistas que não conseguem publicar nada além de histórias fechadas e curtas ou álbuns luxuosos e endeusados pela crítica chapa-branca,dizendo como se deve fazer um roteiro.Vão aprender a produzir quadrinhos tipo exportação seus fracassados!Quadrinhos com roteiros realmente bem trabalhados e que não apelam para regionalismos idiotas e piadinhas adolescentes.Que tenham temas universais e que,pra variar,abordem estilos sofisticados como ficção científica moderna.Chega de histórias babacas sobre cangaceiros,cópias de X-men,vulgaridades inúteis(como as que o Marcatti faz)e emulações baratas de quadrinhos japoneses.Se esforcem de verdade para elaborar histórias bem escritas e,aí sim,teremos motivo para nos orgulhar de poder ensinar algo aos demais profissionais.

J. Kendall Aventuras de uma Criminóloga nº121:formato 13,5x17,6cm,bimestral,256 páginas e preço de R$21,90.


Na primeira história,Bad Boys,veremos um sequestro de um adolescente que abala uma cidade.Júlia investiga a vida do garoto na intensão de descobrir seu paradeiro,mas percebe que seus parceiros não eram dos mais recomendáveis.
Na segunda,temos veteranos do Afeganistão planejando um golpe.Um dos integrantes resolve desistir e contar à polícia do crime,Júlia consegue chegar ao local do assalto,mas é dominada pelos militares fortemente armados.

Desde que li uma matéria sobre o estúdio Bonelli nos anos 90,tive curiosidade de ler pelo menos um de seus quadrinhos.Comprei uma edição de DylanDog pela Conrad e achei distrativa.É claro,a maioria das revistas da editora italiana não são altamente sofisticadas.Ainda tem aquele ar de aventura e ficção em estilo antigo.Mas é inegável que a qualidade dos roteiros e ilustrações se mantém num nível alto,isso é muito mais do que a DC e a Marvel pode afirmar de seus quadrinhos desgovernados e sujeitos à mudanças forçadas,com suas mega-sagas retardadas e cheias de furos.

Vale muito a pena dar uma chance,vez ou outra aos títulos da Bonelli.Ainda que a nossa velha e caquética editora Mythos ponha um preço repelente de R$21,90 numa revista em papel couché.Procure por promoções e edições em sebos,mas não deixe de ler.

Tex Platinum nº1:formato 13,5x17,5cm,356 páginas e preço de R$24,90.


Tex Willer segue a pista de fósseis gigantes de dinossauros e enfrenta,no caminho,dois criminosos;Four Bears e Charles Sutter. Mas com a ajuda de Kit Carson ,um minerador,um cientista e um caçador de recompensas tentará sair desta situação.

É sempre bom ver um personagem de sucesso como Tex estreando uma nova revista,mas apesar dessa vantagem,os detalhes da edição da Mythos acabam se voltando contra o leitor.Já pus as mãos nessa revista numa banca e posso afirmar com certeza que ela não compensa o preço de capa.
A Platinum,à primeira vista,pode aparentar ser uma revista da linha de luxo da série do cowboy.Mas
se trata de um quadrinho em papel jornal,pequeno(o formato de 13,5 por 17,6cm é inferior à média dos mangás)e com um acabamento tão simples que chega a ser ridículo cobrar 24,90 por ele.

Um mangá como 20th Boys tem em média 200 páginas,formato 13,7 por 20cm e custa só 12,90.A quantidade de páginas,nesse caso,deveria aumentar proporcionalmente o valor do título.O que não acontece.Já pensou se a Mythos lançasse uma edição nos padrões de Vagabond com Tex?Pois é melhor nem pensar,pois a editora preferida de leitores do calibre de Donald Tramp e Bill Gates pode resolver lançá-la custando 48 reais!O brigado Mythos,por jogar na lama mais uma chance de me fisgar e fazer com que eu finalmente começasse a acompanhar o personagem.

Dreadstar Volume 1:formato 17x26cm,capa dura,376 páginas e preço de R$99,90.(cof,cof!!!Descupem,eu acabei me engasgando só de pensar no preço da revista!)


Vanth Dreadstar,o último sobrevivente da Via Láctea é chamado pelo mago Syzygy Darklock para acabar com a guerra de 200 anos contra a Monarquia e a seita chamada "Instrumentalidade".

A base do roteiro parece seguir a linha de aventura do tipo Flash Gordon e não tem como duvidar de Starlin com tramas espaciais,nisso ele é muito bom.Somente os primeiros 26 capítulos são dele e como foram lançadas nesta encadernação 12 edições,ficará faltando só mais um para concluir essa fase.

Agora vamos ao detalhe mais relevante nesta edição;o preço escandaloso que a Mythos quer cobrar.Temos que admitir que a editora de Hélcio de Carvalho e Dorival Lopes tem coragem.De que outra forma poderíamos constatar que a editora Mythos consegue pôr  à venda quadrinhos com preços indecentes em plena era da informação?Com a internet inteira podendo esculachá-la abertamente?

Sabemos que neste país já foram publicados quadrinhos de todas as maneiras imagináveis,independente da época em que saíram ou das condições da economia.E para um leitor que se preocupa o mínimo com seu dinheiro,não é difícil perceber que existem centenas de manobras sujas partindo de editoras para induzir o consumidor a comprar quadrinho perfeitamente calculados para arrancar o máximo de lucro do leitor e enganá-lo com perfumarias e extras dispensáveis.

A Mythos nem sequer se encontra nessa categoria!Ela paira arrogantemente acima de qualquer sondagem lógica vinda dos consumidores,para dispor de produtos que custam o mesmo que remédios para tratamentos de doenças sérias.Como se elas fossem tão necessárias quanto!Não vou perder meu tempo fazendo comparações com outras revistas para mostrar como essa revista é cara.Seria completamente inútil.

A Mythos não muda.A Mythos não ouve.A Mythos não aprende. E por fim,a Mythos não tem respeito nenhum pelo leitor brasileiro.Faça o que estiver ao seu alcance para fugir desses preços ou mande essa editora pro inferno de uma vez.

Converência nº2:formato 17x26cm,128 páginas e preço de R$15,90.


Convergência é a atual saga sendo publicada pela Panini no universo DC que obedece ao padrão de;série principal + histórias espalhadas por todos os títulos.Mas sabe uma coisa,vamos fazer algo diferente e mostrar exatamente como essas mega-sagas funcionam ao invés de repetir a mesma crítica:

1º Etapa:Temos uma propaganda viral liberada ou "vazada" na rede mundial.A princípio os leitores ficam sem saber o que acontece,Até que um redator de site ou canal de youtube conceituado resolve "juntar as peças" e deduzir do que se trata,deixando os fans ainda mais chiliquentos e ansiosos.

2ºEtapa:Uma sinopse do evento é divulgada de forma bombástica,deixando claro que a série acarretará danos aos heróis e na cronologia que serão irreversíveis.Os leitores começam a morder os cotovelos de apreensão(mas não se deram por conta de que a história é potencialmente tosca).

3ºEtapa:Ao acompanhar vários títulos(mas não todos,ninguém tem dinheiro pra essa insanidade),os desavisados descobrem que a saga se arrasta de maneira previsível e somente eventos reversíveis acontecerão e somente heróis de 5º categoria morrerão ou serão transformados.

4ºEtapa:Os pobres esperançosos percebem que uma história que já começa ruim não pode originar uma boa série de acontecimentos e acabam fazendo o que a maioria dos leitores fazem;compram somente a série principal.Quando se dão por conta de que ela vai sair encadernada no futuro se sentem mais idiotas ainda.

5ºEtapa:Apesar de todos os sites que somente replicam notícias de fontes americanas terem contribuído para multiplicar a expectativa cega(ao ponto de deixá-lo mais bobo que o Bob Esponja),os mesmos agora se ocupam em dar notas medianas e ficar em cima do muro quanto a real qualidade das histórias.O leitor,por sua vez,após ter se rendido como uma criança à empolgação,levará meses ou anos para reconhecer que aquela mega-saga foi podre e não trouxe nada de produtivo para a indústria de quadrinhos.Pelo menos até a editora lançar outra saga igualmente estúpida,daí o ciclo de alegria/decepção recomeça...

Homem-Animal vol 3 Deus Ex Machina:formato 17x26cm,252 páginas e preço de R$26,90.


Neste volume final as antecipações narrativas de Grant Morrison vão se encaixar no final.As histórias ficarão cada vez mais estranhas e emblemáticas com viagens no tempo,o limbo do universo DC,experiências alucinógenas,metalinguagem e um encontro "especial".

A Panini terminou mais uma fase indispensável da era Abril com qualidade gráfica,rapidez invejável e somente algumas mancadas na tradução,mas é claro que esse quadrinho deve constar na sua coleção.

Demolidor nº10:formato 17x26cm,132 páginas e preço de R$21,00.


Já que a DC este mês está tomada pela falcatrua em forma de saga chamada Convergence,a Marvel ganha de lavada com quadrinhos muito mais chamativos do que os da "distinta concorrência".

A fase do demolidor fez um sucesso grande aqui no Brasil e o volume 10 chega para aumentar a pilha de encadernados.Mark Waid nos entrega um demolidor sem o peso do sofrimento acumulado durante décadas e o personagem vive aventuras rápidas e entusiasmantes nos desenhos de artistas habilidosos como Chris Samnee.Esta é mais uma série que vale a pena ter na estante.O melhor de tudo é que ela não foi afetada por nenhum evento banal da Marvel,mantendo sua qualidade.

Homem-Aranha Superior-Meu Pior Inimigo:formato 17x26cm,120 páginas,capadura e preço de R$26,90.


Após o sacrifício de Peter Parker,o Doutor Octopus assume seu corpo,memórias e conhecimento.Otto agora está disposto a superar Parker.Dentro da rotina do herói,descobrirá que sua vida não é nada fácil tendo que pegar o Sexteto Sinistro pela frente.

Homem-Aranha Superior-Mente Conturbada:formato 17x26cm,120 páginas,capadura e preço de R$26,90.


Desconfiados do modo violento do homem-aranha,os vingadores cogitam a expulsão do herói do grupo.Vendo o uso de suas habilidades para o mal nas mãos de Octopus,o espírito de Peter age para retomar o controle de seu corpo.Um embate se aproxima e pra piorar o Duende Verde volta a atacar.

Algumas pessoas estão dizendo que esta fase de Dan Slot é do tipo "ame ou odeie".Eu diria que é mais do tipo:"ignore e guarde seu dinheiro".

A ideia de ter o doutor Octopus trocando de mente com o homem-aranha me soa como aquelas histórias de desenhos animados da década de oitenta.Só faltou uma história em que o aranha encolhia ou uma em que um vilão seu batesse a cabeça e ficasse bonzinho,trabalhando ao lado do personagem.

As ideias para arcos de histórias tanto da Marvel como da DC estão cada vez mais fracos e imbecis.É o que acontece quando os roteiristas precisam escrever debaixo de regras tacanhas e limitadoras que são impostas dentro das editoras.Não podem criar algo novo porque não vão receber por isso.Não podem mudar personagens de forma planejada porque são interrompidos constantemente por eventos acerebrados.São obrigados a participar de um vale-tudo cronológico que avança e retrocede de acordo com a sanha de lucrar dos engravatados que mandam nessas empresas.No meio disso tudo só sobra o resultado deplorável das histórias atuais.

É possível que a permanência de Slot tenha algumas sacadas interessantes,mas com uma plot desses fica difícil engolir essa marmelada.

Thor Deus do Trovão-Bomba Divina:formato 17x26cm,136 páginas,capa dura e preço de R$26,90.


Os deuses foram escravizados e usados para fazer uma máquina do tempo.Gorr avança com seu plano enquanto Thor é aprisionado.O Carniceiro dos Deuses tem sua origem revelada e também seus motivos para odiar os deuses.Em meio a tudo isso,Thor lidera um ataque antes da "bomba divina" ser ativada.

Fase elogiada do Thor com roteiros de Jason Aaron e desenhos de Esad Ribic e Butch Guice.A mini série do Loki de Esad Ribic me deixou com uma boa lembrança do seu trabalho,não conheço os roteiros de Aaron,mas já posso dizer que 50% da qualidade do título já está garantida somente pela arte.

Miracleman nº15:formato 17x26cm,52 páginas e preço de R$7,50.


Mesmo sabendo do nível das histórias de Alan Moore em Miracleman,não é possível negar que elas estavam muito paradas nas últimas cinco ou seis edições.Sequências lentas,sem ação nenhuma e diálogos descritivos em excesso acabaram arrastando a série.O destaque para estas últimas edições fica pelos ótimos desenhos de Stephen Bissete que se tornaria famoso depois no Monstro do Pântano.

Agora,depois de muito enrolar,Moore nos traz a volta do Kid Miracleman totalmente insano e genocida.O que acontecerá quando Mike Moran deixar sua passagem pela dimensão superior e
confrontar Johnny Bates?Já não era sem tempo senhor "o escritor".

Capitão América-Renascimento:formato 17x26cm,336 páginas,capa dura e preço de R$92,00.


Para acabar com a guerra entre os heróis o capitão se entregou e logo depois foi morto à caminho do tribunal.Depois de ser manipulada pelo Dr. Faustus,Sharon Carterdescobre que talvez steve esteja vivo e tudo não passe de um plano do Caveira Vermelha.

O sexto encadernado de luxo da fase de Brubaker está à venda.É espantoso o nível de qualidade nessa edição,mas também é espantoso o valor que tem de pagar por ela.Levando em consideração que se somarmos os valores de cada volume temos a bagatela de R$463,00,entende-se que a Panini atropelou o leitor com sua estratégia de mercado.Caso esta série tivesse seguido o caminho de Y-O último Homem(livros baratos com capa cartão e miolo em lwc),ao menos os consumidores teriam uma chance de comprá-la.Infelizmente a tendência de agora em diante é piorar,pois a editora vem encarecendo ainda mais seus títulos.

20th Century Boys nº21:formato 13,7x20cm,bimestral,208páginas e preço de R$12,90.


O Amigo inicia seu plano para matar toda a humanidade.O homem que escapou do réveillon de sangue chega à Tóquio.Os garotos estão se reunindo e a batalha final se aproxima.

A conceituada história de Naoki Urasawa caminha para o final.Twenty Century Boys é um mangá que com certeza eu incluiria na minha lista caso não tivesse sido lançado com baixa qualidade de papel.Dedicar-se à uma série longa nesse padrão de publicação somente para a editora relançá-la em papel melhor(como Berserk)é perda de tempo.Aconteceu o mesmo com Monster e com Lobo Solitário.Querem apostar que elas sairão em edições melhores?Quem comprou a o Lobo Solitário como eu,vai ter que ficar com a coleção antiga amarelada ou recomprar tudo de novo.Coisa que eu definitivamente não vou fazer!

One-Punch Man nº1:formato 13,7x20cm,bimestral,208 páginas e preço de R$16,90.


Saitama sempre quis se tornar um herói,após salvar uma criança de um monstro com aparência de figurante de Tokusatsu,resolve se tornar cada vez mais forte ao ponto de derrotar todos os seus inimigos com apenas um único soco.Apesar de viver numa cidade constantemente atacada por tipos cada vez mais estranhos,o herói se entedia com facilidade,pois todos seus desafios são vencidos com ridícula facilidade.

One-Punch Man se tornou um grande sucesso no japão por seu clima cômico e ação descompromissada.Remete o leitor de quadrinhos e também os espectadores de séries japonesas ao universo de lutas-livre de monstros dentro de cidades.Ótimo para quem gosta de aventuras sem grandes pretensões e mensagens.

Vagabond nº2:formato 13,7x20cm,248 páginas e preço de R$17,90.


Takezo volta para sua terra mas é mal recebido.Durante sua perseguição esbara com um monge estranho e sua amiga de infância.

Já disse o quanto é bom ter finalmente um volume nº1 de Vagabond em mãos?Bem a sensação é muito boa mesmo!A saga de Musashi segue com seu ritmo compassado,fazendo com que viajemos pelas suas páginas admirando cada paisagem,expressão facial,tensão crescente e fiquemos esperando pelo próximo exemplar com ansiedade.Que venham todos eles!

A Coleção Oficial de Graphic Novels Marvelnº63 DeadPool A Guerra de Wade Wilson:formato
17x26cm,128 páginas,capa dura e preço de 36,90.


Levado ao Senado Americano para esclarecer sua ação num massacre que deixou centenas de mortos no México,Deadpool está prestes a revelar seu próprio passado embora ninguém possa provar se são verdades ou não.

Com a recente fama adquirida de Deadpool no mundo todo e principalmente entre aqueles que nunca haviam lido nada do personagem,mas viram o filme,é claro que teríamos lançamentos pegando carona nessa onda.É preciso ficar atento para não comprar material ruim,selecionando-os através de reviews.A Guerra de Wade Wilson parece ser um dos quadrinhos que vale a pena dar uma chance.

Esse foi o checklist de março,boa leitura e até o próximo mês.

Fontes:UniversoHQ,Guia dos Quadrinhos e Google.


























































































































Nenhum comentário:

Postar um comentário