sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Os leitores de mangás da JBC não devem engolir o repasse de prejuízo do mercado


Por:Hds.

Quando comecei a frequentar a internet com regularidade há quase dez anos atras,tive contato com sites e blogs de leitores.Neles eu fiquei sabendo(não sem algum espanto)da mudança de postura  gritante dos leitores de quadrinhos no Brasil.

Havia toda uma nova geração que opinava em redes sociais(msn e orkut,alguém ainda deve se lembrar...)e faziam o seu próprio conteúdo relacionado aos quadrinhos.Não era mais possível para as editoras ignorar as queixas dos leitores jogando suas cartas na lata do lixo.Nem fingir que poderiam lançar revistas cortadas e modificadas em formatinho minúsculo,sem que alguém pudesse comparar com os originais americanos(ou de qualquer outro lugar do mundo)com aqueles arremedos de publicação.

A primeira coisa que pensei na época foi;"como esses moleques tem sorte de poder esfregar na cara das editoras as cagadas que elas fazem!".Aquilo me deixou orgulhoso.Saber que pessoas que estavam começando a comprar quadrinhos haviam desenvolvido uma visão mais clara de como as editoras,às vezes,aprontam palhaçadas com os consumidores nesse mercado.

Já faz um tempo,o editor de conteúdo da editora JBC,Cassius Medauar,postou um vídeo no canal da editora esclarecendo o porquê das mudanças de papel nos mangás da sua linha.


No vlog,Cassius falou sobre as dificuldades que as editoras tem atualmente para por as edições em bancas com a crise econômica e a escassez de papel de qualidade.Também lembrou que alguns mangás da editora estão saindo com papéis transparentes e baixa qualidade(depois de ser forçado pelas reclamações dos leitores,é claro...).

O blog "Mais de Oito Mil"(recomendo)fez alguns posts a respeito e expôs a situação precária de títulos como Orange;


A leitora Anna Guzzo postou um comentário na página da editora reclamando e a resposta foi:"desculpe Anna,mas não concordamos com você nessa".E qual seria a afirmação com a qual a editora deveria concordar?Aquela em que o leitor puxa o saco dela e fica calado pagando o preço?

Como dito pela Mara, a autora do blog,a JBC é bastante empenhada em responder aos leitores e se comunicar(algo que as outras editoras tiveram que copiar,para não parecerem tão arrogantes como sabemos que elas verdadeiramente são!).Mas os esclarecimentos do editor de conteúdo da JBC não servirão de nada se o leitor continuar a levar o prejuízo na cara!

Cassius fala também das outras editoras que citaram os mesmos problemas em seus mangás.É certo que estamos num momento realmente miserável no país,mas como empresas que todas essas editoras são,elas devem enfrentar-los como for possível,sem transferir os problemas delas para os leitores.

Ninguém aqui é criança para não entender que se as coisas estão ruins na economia,tudo vai sofrer aumentos.O que quero deixar explícito é que as editoras não devem repassar esse aumento para o leitor.O único mangá que estou comprando agora é Vinland Saga e até agora,felizmente,não fizeram nenhuma alteração no papel,que não é de má qualidade para um tipo como o "jornal".

O problema é uma editora afirmar de maneira entusiasmada a publicação de um título,em papel off-set,e o papel ser uma porcaria transparente custando R$14,90 ou R$17,90.


Foto divulgada no blog Mais de Oito Mil.
Um conselho para os leitores de mangá no Brasil;não engulam essas mazelas!Se os consumidores fizerem isso as editoras não só deixarão as revistas como estão,e transformarão o repasse de custos(e consequentemente os prejuízos possíveis da editora)de algo que é feito para reduzir custos,em prática oficial!

Fontes:Mais de Oito Mil,Henshin Online e site oficial da JBC.








Nenhum comentário:

Postar um comentário